Club de
Assis-Fraternal

Palestra com o GD 2013-14 Ricardo de Maio Bermejo: "Roda da Vida Rotária"

O RC de Assis Fraternal realizou reunião de inter-clubes, com todos os clubes de Assis, Palmital, Paraguaçu Paulista e Tarumã, para palestra ministrada pelo GD 2013-14 Ricardo de Maio Bermejo que realizou uma "interação rotária" com o tema: "Roda da Vida Rotária" - Local:  Casa da Amizade (Av. Otto Ribeiro, 677 - Jardim Paulista).

Postado em 18 de Setembro de 2018

Quatro dicas para engajar participantes de reuniões virtuais e dicas para usar o Facebook com eficiência

Muitos concordam que reuniões virtuais podem ser eficientes e convenientes. No entanto, elas podem deixar a desejar em termos de espontaneidade e criatividade. Veja a seguir algumas dicas para aproveitar ao máximo essas reuniões:  Planeje e, depois, escolha a ferramenta. Faça uma lista de tudo o que você espera alcançar durante a reunião ou evento para, então, escolher a ferramenta adequada. Há diversas opções de software com diferentes funções. Portanto, explore as alternativas e escolha a mais adequada às suas necessidades.  Defina expectativas. Comece explicando aos participantes o que eles podem esperar e como podem participar. Responder a perguntas comuns no início fará com que todos possam se concentrar melhor durante a reunião.  Dê a todos a chance de participar. Use as funcionalidades disponíveis para engajar os participantes. Isso pode englobar enquetes, painéis de chat, pesquisas na inscrição e salas de discussão.  Siga as regras de etiqueta para ambientes virtuais. Seja atencioso, coloque-se no modo silencioso quando não estiver falando, demonstre empatia ao falar e ouvir, e expresse sua gratidão por estarem conectados.  Para mais ideias, acesse o tópico de reuniões virtuais na Central de Aprendizado. Dicas para usar o Facebook com eficiência As redes sociais são ideais para contarmos histórias do Rotary, mantermos nossa relevância e atrairmos associados mais jovens. A CIPR Lee-Ann Shearing (Zimbábue) sugere algumas ideias para usarmos o Facebook de maneira eficaz:   Dizem que é importante criar posts curtos para o Facebook. Isso nem sempre é a melhor opção. Uma estação de rádio analisou mais de 3.000 dos seus posts no Facebook e constatou que, embora posts menores tenham tido mais cliques, os maiores registraram mais engajamento.  Criar um álbum de fotos no Facebook é outra ótima maneira de compartilhar uma história, sobretudo quando há eventos onde muitas fotografias são tiradas. Bônus: o Facebook compartilha o álbum inteiro no feed de notícias novamente toda vez que você adiciona imagens a ele.  Considere criar vídeos. O algoritmo do feed do Facebook prioriza vídeos mais longos que engajam o público. Reúna testemunhos de pessoas, associados e beneficiários em um vídeo e compartilhe-o no Facebook. Ser autêntico é a chave do storytelling. E a melhor forma de demonstrar isso é fazendo lives. O Facebook prioriza vídeos ao vivo no feed de notícias. Você pode fazer uma live para compartilhar dicas, mostrar os bastidores de um evento ou fazer uma sessão de perguntas e respostas. 

Postado em 04 de Agosto de 2020

Mensagem presidente de Rotary International

Holger Knaack Presidente, 2020-21 Agosto de 2020 O ano de 2020 trouxe mudanças colossais que até agora já incluem uma pandemia e um apelo à justiça social. Estes eventos nos fazem lembrar ainda mais de que vivemos em um mundo em constante mutação, e o Rotary é um reflexo desse mundo. Devemos permanecer atentos e nos adaptar, vivendo nossos valores de serviços humanitários, companheirismo, diversidade, integridade e liderança. Se fizermos isso e aplicarmos a Prova Quádrupla em todos os aspectos da vida, estaremos prontos para liderar em todos os momentos. Sinto muita satisfação em ver como provamos nossa capacidade de adaptação. Diante do novo coronavírus, o Rotary seguiu resoluto e não parou. Passamos a nos reunir pela internet e encontramos novas maneiras de servir. Pela impossibilidade de nos encontrarmos em Honolulu para a Convenção de 2020, nos ajustamos em tempo recorde e realizamos a nossa primeira Convenção Virtual em junho deste ano. Toda semana, mostramos que é possível ficar em contato no Rotary em qualquer circunstância, seja por meio de reuniões tradicionais ou cibernéticas. A organização oferece recursos para continuarmos fortalecendo nossas conexões, sem que ninguém fique de fora. Alguns até já me disseram que gostam mais da mistura de reuniões on-line e presenciais como estamos tendo agora comparado ao jeito que era antes! Assim, devemos nos perguntar como crescer com a situação e abraçar essa mudança de vez para seguirmos prosperando. Para mim, é fundamental apoiar novos tipos de clubes. Eles não são mais meras experiências, mas uma parte real do Rotary. Além dos clubes tradicionais, temos e-clubs, Rotaract Clubs, clubes baseados em causas e clubes passaporte. Todos eles ajudam a tornar o Rotary mais inclusivo, flexível e atraente a novos associados. Conheça estes clubes, visite-os, troque ideias e faça parcerias com eles, divulgando-os aos seus contatos pessoais e profissionais sempre que viável. Concordamos que precisamos fazer o Rotary crescer, mas às vezes nos concentramos demais nos números e perdemos de vista o panorama geral. Afinal, um aumento no quadro associativo não faz o menor sentido se, no ano seguinte, as pessoas acabarem saindo dos clubes na mesma proporção. Temos que fazer o Rotary crescer de forma sustentável. A flexibilidade para se viver Rotary tem todo o poder de engajar os associados e mostrar como somos diferentes de outros grupos do gênero. Precisamos espalhar aos quatro cantos e celebrar que o Rotary é moderno, tendo flexibilizado bastante suas regras e oferecido cada vez mais novas maneiras das pessoas se envolverem. Recomendo a cada clube que realize uma reunião estratégica anual para fazer um raio X da atual situação e descobrir se está fazendo tudo o que pode pelos seus associados e se reflete a comunidade à qual serve. Estamos adotando esta abordagem em nível internacional, e tenho muito orgulho de dizer que seis mulheres servirão ao meu lado no Conselho Diretor do RI este ano, o número mais alto das ilustres representantes da ala feminina que já tivemos na diretoria até hoje. Vamos manter o Rotary caminhando nesta direção em todos os níveis, já que precisamos de mais perspectivas e diversidade para que a nossa organização vá ainda mais longe. É fascinante imaginar como encontrar novas maneiras de nos adaptarmos e continuarmos eficientes neste e por muitos anos no futuro. O que não mudou, e nunca mudará no Rotary, também é motivo de grande inspiração para nós: as amizades, as inúmeras possibilidades de networking, a prática de valores éticos e o voluntariado. Na verdade, estas são exatamente as características que mais atraem as pessoas aos clubes. Como disse nosso fundador, Paul Harris: "temos que ser revolucionários de vez em quando". Agora é o momento para sermos revolucionários. O Rotary Abre Oportunidades – inúmeras delas – para abraçarmos mudanças que venham nos fortalecer e que nos permitam continuarmos alicerçados nos nossos valores fundamentais.

Postado em 04 de Agosto de 2020

Mais dois projetos de Subsídios Globais 2019-20, são aprovados pela Fundação Rotária

O Coordenador Distrital da Fundação Rotária, Ricardo de Maio Bermejo, da gestão 2019-20, e atual Instrutor Distrital. 2020-21, divulgou ontem que a Fundação Rotária aprovou mais dois projetos de Subsídios Globais:  O GG2012125 “Espaço de Reabilitação”, desenvolvido pelo Rotary Club de Bauru Parque das Nações, e o GG2015823 “Ações reais para adolescentes”, pelo Rotary Club de Paraguaçu Paulista. O projeto do Rotary Club de Bauru Parque das Nações e do Rotary Club de Paraguaçu Paulista, tem como parceiro o Rotary Club de Rauch, da Argentina, Distrito 4921. O valor destinado para o projeto do Rotary Club de Bauru Parque das Nações é de US$ 34.379 mil dólares e para o Rotary Club de Paraguaçu Paulista o valor destinado é de US$ 45.083 mil dólares. O Governador Marcos Antônio Carchedi, associado do Rotary Club de Marília Tradição, manifestou ontem a sua alegria na confirmação destes dois projetos “o impacto que estas ações provocam nas comunidades, as pessoas que são beneficiadas e alegria e o sentimento de estarmos fazendo a nossa parte, e principalmente, de seguirmos em frente e de fazermos ainda mais”. O atual Coordenador Distrital da Fundação Rotária, Mauricio de Agostinho Antonio, associado do Rotary Club de Bauru Terra Branca, destacou por estes motivos da importância de doarmos para a Fundação Rotária. “Os presidentes e os coordenadores da Fundação Rotária dos clubes tem um papel essencial na conscientização da capitação de recursos para a nossa Fundação, os projetos existem devido a estas contribuições, por este motivo eles são os motivadores dentro dos clubes para que possamos seguir fortalecendo a nossa Fundação”, falou Antonio. O Governador Nestor Amarilho, 2020-21, associado do Rotary Club de Assis do Vale, lembrou que estes projetos globais aprovados servem de inspiração para que os clubes doem e sigam elaborando os seus projetos. “Entendemos que os clubes estão sabendo fazer os projetos, por este motivo tivemos da gestão anterior, todos estes aprovados pela Fundação Rotária, parabéns aos clubes e seus líderes. Vamos apoiar e espero que nesta gestão tenhamos o mesmo sucesso”, concluiu. Faça o bem ao mundo, faça a sua doação para a Fundação Rotária.      

Postado em 01 de Agosto de 2020

Distrito 4510 na contagem regressiva de 10 anos para a Hepatite Zero 2030, faça parte da história

Por Humberto Silva “Quando decidi dedicar minha vida a ajudar aqueles que precisavam e a mudar a situação da hepatite no mundo, eu não estava apenas fazendo isso porque havia sido poupado, embora já com cirrose e à beira de ter as severidades de a doença sem sentir um único sintoma. O que realmente me motivou a combater essa causa e me tornar um líder foi a injustiça por trás disso” – explica Humberto. – “A hepatite é uma doença sui generis. É uma doença que mata lentamente, que pode levar décadas para consumir o fígado da pessoa – é por isso que é conhecida como uma assassina silenciosa. Enquanto algumas pessoas argumentam que existem outras doenças silenciosas, como diabetes, pressão alta e até algumas formas de câncer, essas doenças não são fáceis de descobrir. Elas continuam aparecendo aqui e ali, todos os dias, o que torna o combate quase impossível para as autoridades de saúde. Mas este não é o caso da hepatite. Este último já está lá, presente em um grupo, em uma porcentagem da população, que o carrega há muito tempo. E tudo o que um governo precisa fazer é fornecer uma triagem para a população e descobrir quem está doente. Isso pode ser feito com testes rápidos de picada no dedo, nas ruas, se você quiser, ao custo de centavos por teste. E quem é diagnosticado, como eu, recebe a chance de lutar por sua vida, pois há tratamento para os dois vírus. As autoridades de saúde de todo o mundo sabiam que o problema estava lá, ou melhor, que ele está lá. Mas está em silêncio. Então .., por que ir lá e descobrir problemas dentro de sua gestão? Deixe-os lá, eles não estão fazendo barulho. Já existem problemas suficientes, barulhentos, aos quais esse governo deve comparecer. Sempre que alguém surgir com um sintoma, a necessidade de um transplante ou um óbito, isso pode muito bem ocorrer durante o próximo mandato – uma questão para os próximos governadores. “Essa postura simplesmente fez com que centenas de milhões de pessoas em todos os países do mundo se limitassem ao que podem ser suas sentenças de morte, sem nunca ter a chance de se defender e lutar por sua sobrevivência. Hoje o mundo é tomado por um fardo de pacientes com hepatite B e C que ainda não têm a menor ideia de sua contaminação e o risco fatal que estão enfrentando. Estima-se que cerca de 400 milhões tenham a doença. Mas apenas 5% a 10% dos infectados são diagnosticados.” “Justificar que a falta de ação é algo que pode ser feito por vários argumentos, continua Silva, mas temos situações em que vemos o extremo – é quando nós, com nossas equipes de Hepatite Zero, tentamos entrar em um país e com a ajuda de nossos voluntários do Rotary realizam testes entre a população e as autoridades locais negam veementemente essa abordagem. Alguns até foram brutais e ameaçadores, declarando que éramos “proibidos de executar essa ação humanitária”, usando argumentos como o de que lhes causaríamos problemas, pois eles não têm estrutura disponível para tratar os doentes, etc. Obviamente que nosso contra-argumento nesses casos é que também forneceríamos os medicamentos, etc., se necessário, afinal, Rotary Clubs são reuniões de filantropos que estão lá para fazer o bem à comunidade. Mas, mesmo assim, alguns países ainda não mudam de posição. Um deles chegou a decidir mudar de ideia depois de solicitar uma doação de nossos kits de teste. Como o material já havia sido enviado, eles mudaram de ideia e confiscaram os milhares de testes que nós doamos.” – “Como um líder de milhões de pessoas de um país pode adotar essa postura, simplesmente pela conveniência de não criar novos problemas para o departamento de saúde deles?! Saber que milhões vão morrer e fechar os olhos para isso … Isso é revoltante!” Graças a Deus, esses casos estavam longe de ser a maioria durante nossa campanha – como muitos participantes pensaram que seria. E a maioria dos mais de 50 países com os quais abordamos nossa ajuda humanitária aceitou nossa campanha e permitiu diagnosticar os infectados. Ficamos felizes por mais de 1 milhão de apresentações simultâneas em cerca de 50 países. E cerca de 7.000 pessoas foram diagnosticadas. Podemos dizer que aqueles tiveram suas vidas salvas. Pois eles procurarão tratamento, agora têm seu próprio eu para lutar por suas vidas.”   No livro Hepatite Zero projeto mundial de erradicação, é contada a inspiradora história do brasileiro Humberto Silva, que é um sobrevivente da Hepatite C. Indignado com a forma negligenciada com que as autoridades tratam a enfermidade e deixam meio bilhão de pessoas sem diagnóstico, Humberto prometeu a Deus que trabalharia de graça, até o fim de suas forças, para tentar mudar essa injusta situação no mundo. Dessa história, nasceu o projeto mundial “Hepatite Zero”, que hoje é um trabalho importante do Rotary para a humanidade. Um livro rico em fotos bonitas – a maioria delas do fotógrafo Danilo Ramos – percorre, com um gostoso texto, a trajetória dessa grande ação que está sendo implantada em vários países e que pretende atingir a erradicação total das Hepatites Virais. O livro tem ainda passagens interessantes e pitorescas de toda a luta obstinada do ativista, além de informações sobre as Hepatites e ideias para erradica-la. Hepatite viral é uma ameaça a todos e precisa ser prioridade máxima. A hepatite é tão perigosa porque é um assassino silencioso. Muitas pessoas não apresentam sintomas claros e discerníveis e, como resultado, não são diagnosticadas e podem continuar a disseminar o vírus para outras pessoas. Apenas cerca de 9% das pessoas com hepatite B e 20% das pessoas com hepatite C foram diagnosticadas. Também muito poucas pessoas que são diagnosticadas recebem o tratamento de que necessitam. Sem tratamento, o vírus pode causar cirrose, câncer de fígado e outras complicações mortais. A hepatite causou cerca de 1,34 milhões de mortes em todo o mundo em 2015, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa taxa de mortalidade é semelhante à da tuberculose e maior do que a do HIV hoje, e está atualmente crescendo. Estima-se que 257 milhões de pessoas estejam vivendo com hepatite B, e 71 milhões de pessoas com hepatite C, globalmente. A boa notícia é que mais de 95% das pessoas com hepatite C podem ser completamente curadas em um período de dois a três meses. No entanto, para que elas sejam direcionadas ao tratamento adequado, essas pessoas precisam ser encontradas. É importante que o diagnóstico aconteça antes que os sintomas se manifestem, pois por essa altura o fígado já sofreu danos que podem ser irreversíveis, levando ao câncer de fígado e até mesmo à morte. Para vencer esta luta e evitar milhões de mortes todos os anos, precisamos do envolvimento do maior número possível de pessoas em várias partes do mundo. Juntos, podemos erradicar a hepatite viral globalmente. O lançamento mundial da campanha ocorreu no último dia 28 de julho, o Distrito 4510 vem participando desde 2016 quando a campanha foi lançada. O Governador Nestor Amarilho, associado do Rotary Club de Assis do Vale, reforça o pedido para que os clubes participem desta ação. "Neste momento onde enfrentamos esta pandemia, o Rotary vem apoiando as nossas ações, assim eu peço aos rotarianos que façamos o mesmo diante desta campanha de erradicação da Hepatite C.  Temos experiências em divversos projetos e programas, a pólio,é o nosso maior exemplo. Façamos o mesmo nesta campanha, nós gostamos de desafios.Sei que por sermos pessoas em ação estamos abraçando também esta causa. Esta é a diferença do Rotary, somos determinados e atuantes", comentou Amarilho. Junte-se a nós nesta grande luta pela vida!   CONTAGEM REGRESSIVA DE 10 ANOS PARA A HEPATITE ZERO 2030FAÇA PARTE DA HISTÓRIA. ENVIE UMA FOTO SUA PELO clique no link e preencha o formulário  https://hepatitiszeroweek.com/pt-br/hepatitezero2030/    

Postado em 30 de Julho de 2020

Rotary promove agroflorestas sustentáveis em Alagoas

Aos 41 anos, Maria José Cavalcante faz parte do assentamento de agricultores Flor do Bosque, na cidade de Messias, Zona da Mata de Alagoas. Para quem conquistou um pedaço de terra para cultivar graças ao movimento da reforma agrária, Maria vê uma nova mudança em sua vida graças a um projeto do Rotary. O projeto “Plantando Agroflorestas”, do Rotary club Maceió-Farol, une o plantio de alimentos com árvores nativas da região, permitindo maior produtividade, com sustentabilidade do solo, e mais ganhos para os agricultores, que vivem da renda dos excedentes das colheitas, vendidos em feiras locais. “Acredito que a produção tem de ser feita respeitando a natureza. O projeto nos dá orientação para termos mais alimento no mesmo espaço [usado antes], e de termos uma renda a mais, pois quando temos excedente de alimentos, nós vendemos, ele vai para fora [do assentamento]”, destaca Maria. O projeto de agroflorestas chegou à vida de Maria por meio de membros do Rotary que também são professores da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). José Roberto Santos, engenheiro agrônomo e especialista em agroflorestas, viu que a forma de plantio dos agricultores da Zona da Mata alagoana poderia ser melhorada, beneficiando as pessoas e o meio ambiente. Aliando o plantio de árvores nativas da Mata Atlântica, com raízes profundas que ajudam a manter a terra úmida, à plantação de alimentos, o projeto aumenta a produtividade da colheita e recupera o solo degradado. “O resultado é imediato e contínuo. Do segundo mês em diante, após a implantação da agrofloresta, eles já iniciam a colheita e replantio das hortaliças. Depois, eles irão colher lavouras como feijão, milho, abóbora, macaxeira, etc.”, explica José Roberto. Os membros do Rotary estão envolvidos no desenvolvimento do projeto, compra de equipamentos e treinamento técnico dos agricultores. “A primeira etapa é a construção de viveiros para a geração das mudas. Estamos investindo nos viveiros e, depois, investiremos nos equipamentos para as plantações”, conta Flavio Lima, engenheiro civil e professor da UFAL. “O objetivo do projeto é agregar valor à produção. Nessa região, a grande maioria usa queimada e agrotóxico [nas plantações]”, diz. Os investimentos no projeto foram de US$ 33.500, tendo recebido aportes do clube Maceió-Farol, do clube argentino Caleta Olívia, que entrou como parceiro internacional, e da Fundação Rotária. O projeto começou em janeiro e terá duração de um ano. Além do assentamento Flor do Bosque, em Messias, outros três também estão sendo beneficiados: Dom Helder (Murici), Zumbi dos Palmares (Branquinha) e Duas Barras (São Luís do Quitunde). Todos os assentamentos ficam na Zona da Mata alagoana, a cerca de 60 quilômetros da capital, Maceió. Nesta primeira etapa do projeto, cada acampamento constrói um viveiro para suas mudas de árvores. No total, serão plantadas 600 árvores nativas por hectare e cada acampamento terá 15 hectares de agrofloresta. “O sistema é pensado para a utilização de recursos locais e do próprio assentamento, sem a necessidade do uso de agrotóxicos. Espera-se, com esse projeto, aumentar a renda e a qualidade de vida de 60 famílias de agricultores pela produção de alimentos e outros produtos florestais de forma contínua e de qualidade superior”, aponta José Roberto. Para Maria e os outros agricultores beneficiados, além do treinamento técnico e da perspectiva de ganhos maiores, fica um importante aprendizado. “Aprendemos a conviver com a natureza. Aprendemos a respeitar e observar a natureza, a usar uma área que antes não era usada e a proteger as nascentes de água”, conclui.

Postado em 27 de Julho de 2020

Seminário de Treinamento Distrital da Fundação Rotária é realizado com grande sucesso

Foi realizado ontem, 26/07, de forma virtual, o primeiro evento referente aos seminários que serão realizados na gestão 2020-21.  Convocado pelo Governador Nestor Silveira do Amarilho e com a coordenação do Governador. 2017-18, Mauricio de Agostinho Antonio, o encontro ocorreu na parte da manhã, entre às 09h00 e 12h00 e reuniu em torno de 400 participantes, sendo que no Facebook tivemos mais de 1400 visualizações. A programação teve como palestrantes Wellington Noburo Hoshino, GD 2013-14, Coordenador Assistente da Fundação Rotária, com o tema “A Fundação Rotária no Brasil, novidades e atualidade”. Na sequência o expositor foi Marcos Anselmo Ferreira Franco, GD 2010-11, vice-presidente da Associação Brasileira de Rotary Foudation (ABTRF), que falou a “ABTRF Programas e novas oportunidades de contribuições”. O atual Curador da Fundação Rotária, Hipólito Ferreira, Diretor de RI 1999-2001, apresentou a “Fundação Rotária, capitação e projetos de sucessos”. O Coordenador Distrital, Mauricio de Agostinho Antonio, foi o expositor com o tema “Subsídios Globais e Distritais”. A Representante Distrital de Rotaract (RDR), 2020-21, Letícia Monitchely Orlando, teve como exposição “Projetos Humanitários do Rotarcat e Oportunidades de Novos Projetos” e Ianara Cristina Queiroz Costa, Coordenadora Distrital de Rotaract, fechou as apresentações. Ao fazer parte desta comissão o Coordenador Distrital, orienta os clubes sobre assuntos da entidade, inspirando-os a doar para a nossa Fundação e participar dos seus programas. Suas responsabilidades também incluem autorizar o uso do FDUC em subsídios e qualificar os clubes para solicitar e trabalhar com Subsídios Globais. Esta comissão conta com as subcomissões de: Arrecadação de Fundos, Subsídios, Pólio Plus, Bolsas Rotary pela Paz e Gerenciamento Financeiro. E este foi o objetivo deste treinamento, segundo Mauricio de Agostinho Antonio. O Governador Nestor Silveira do Amarilho destacou em suas palavras de encerramento as importantes exposições proferidas pelos palestrantes enriquecendo o conhecimento de todos os participantes e sobre a conscientização que todos devem ter quanto a capitação de recursos para a Fundação Rotária. “Sem recursos não há projetos”, vamos a luta e planejamento que devemos ter para a gestão, conto com a compreensão de todos, somos altruístas de uma grande causa, finalizou. O próximo seminário está agendado para o dia 16/08, também de forma virtual, com transmissão pelo Zoom e Facebook, às 09h00, sob a coordenação distrital do Governador 2011-12, Márcio Medeiros, com o Desenvolvimento do Quadro Associativo. Participe afinal “O Rotary Abre Oportunidades”

Postado em 27 de Julho de 2020

Ver todos

Quatro dicas para engajar participantes de reuniões virtuais e dicas para usar o Facebook com eficiência

Muitos concordam que reuniões virtuais podem ser eficientes e convenientes. No entanto, elas podem deixar a desejar em termos de espontaneidade e criatividade. Veja a seguir algumas dicas para aproveitar ao máximo essas reuniões:  Planeje e, depois, escolha a ferramenta. Faça uma lista de tudo o que você espera alcançar durante a reunião ou evento para, então, escolher a ferramenta adequada. Há diversas opções de software com diferentes funções. Portanto, explore as alternativas e escolha a mais adequada às suas necessidades.  Defina expectativas. Comece explicando aos participantes o que eles podem esperar e como podem participar. Responder a perguntas comuns no início fará com que todos possam se concentrar melhor durante a reunião.  Dê a todos a chance de participar. Use as funcionalidades disponíveis para engajar os participantes. Isso pode englobar enquetes, painéis de chat, pesquisas na inscrição e salas de discussão.  Siga as regras de etiqueta para ambientes virtuais. Seja atencioso, coloque-se no modo silencioso quando não estiver falando, demonstre empatia ao falar e ouvir, e expresse sua gratidão por estarem conectados.  Para mais ideias, acesse o tópico de reuniões virtuais na Central de Aprendizado. Dicas para usar o Facebook com eficiência As redes sociais são ideais para contarmos histórias do Rotary, mantermos nossa relevância e atrairmos associados mais jovens. A CIPR Lee-Ann Shearing (Zimbábue) sugere algumas ideias para usarmos o Facebook de maneira eficaz:   Dizem que é importante criar posts curtos para o Facebook. Isso nem sempre é a melhor opção. Uma estação de rádio analisou mais de 3.000 dos seus posts no Facebook e constatou que, embora posts menores tenham tido mais cliques, os maiores registraram mais engajamento.  Criar um álbum de fotos no Facebook é outra ótima maneira de compartilhar uma história, sobretudo quando há eventos onde muitas fotografias são tiradas. Bônus: o Facebook compartilha o álbum inteiro no feed de notícias novamente toda vez que você adiciona imagens a ele.  Considere criar vídeos. O algoritmo do feed do Facebook prioriza vídeos mais longos que engajam o público. Reúna testemunhos de pessoas, associados e beneficiários em um vídeo e compartilhe-o no Facebook. Ser autêntico é a chave do storytelling. E a melhor forma de demonstrar isso é fazendo lives. O Facebook prioriza vídeos ao vivo no feed de notícias. Você pode fazer uma live para compartilhar dicas, mostrar os bastidores de um evento ou fazer uma sessão de perguntas e respostas. 

Em 04/08/2020

Mensagem presidente de Rotary International

Holger Knaack Presidente, 2020-21 Agosto de 2020 O ano de 2020 trouxe mudanças colossais que até agora já incluem uma pandemia e um apelo à justiça social. Estes eventos nos fazem lembrar ainda mais de que vivemos em um mundo em constante mutação, e o Rotary é um reflexo desse mundo. Devemos permanecer atentos e nos adaptar, vivendo nossos valores de serviços humanitários, companheirismo, diversidade, integridade e liderança. Se fizermos isso e aplicarmos a Prova Quádrupla em todos os aspectos da vida, estaremos prontos para liderar em todos os momentos. Sinto muita satisfação em ver como provamos nossa capacidade de adaptação. Diante do novo coronavírus, o Rotary seguiu resoluto e não parou. Passamos a nos reunir pela internet e encontramos novas maneiras de servir. Pela impossibilidade de nos encontrarmos em Honolulu para a Convenção de 2020, nos ajustamos em tempo recorde e realizamos a nossa primeira Convenção Virtual em junho deste ano. Toda semana, mostramos que é possível ficar em contato no Rotary em qualquer circunstância, seja por meio de reuniões tradicionais ou cibernéticas. A organização oferece recursos para continuarmos fortalecendo nossas conexões, sem que ninguém fique de fora. Alguns até já me disseram que gostam mais da mistura de reuniões on-line e presenciais como estamos tendo agora comparado ao jeito que era antes! Assim, devemos nos perguntar como crescer com a situação e abraçar essa mudança de vez para seguirmos prosperando. Para mim, é fundamental apoiar novos tipos de clubes. Eles não são mais meras experiências, mas uma parte real do Rotary. Além dos clubes tradicionais, temos e-clubs, Rotaract Clubs, clubes baseados em causas e clubes passaporte. Todos eles ajudam a tornar o Rotary mais inclusivo, flexível e atraente a novos associados. Conheça estes clubes, visite-os, troque ideias e faça parcerias com eles, divulgando-os aos seus contatos pessoais e profissionais sempre que viável. Concordamos que precisamos fazer o Rotary crescer, mas às vezes nos concentramos demais nos números e perdemos de vista o panorama geral. Afinal, um aumento no quadro associativo não faz o menor sentido se, no ano seguinte, as pessoas acabarem saindo dos clubes na mesma proporção. Temos que fazer o Rotary crescer de forma sustentável. A flexibilidade para se viver Rotary tem todo o poder de engajar os associados e mostrar como somos diferentes de outros grupos do gênero. Precisamos espalhar aos quatro cantos e celebrar que o Rotary é moderno, tendo flexibilizado bastante suas regras e oferecido cada vez mais novas maneiras das pessoas se envolverem. Recomendo a cada clube que realize uma reunião estratégica anual para fazer um raio X da atual situação e descobrir se está fazendo tudo o que pode pelos seus associados e se reflete a comunidade à qual serve. Estamos adotando esta abordagem em nível internacional, e tenho muito orgulho de dizer que seis mulheres servirão ao meu lado no Conselho Diretor do RI este ano, o número mais alto das ilustres representantes da ala feminina que já tivemos na diretoria até hoje. Vamos manter o Rotary caminhando nesta direção em todos os níveis, já que precisamos de mais perspectivas e diversidade para que a nossa organização vá ainda mais longe. É fascinante imaginar como encontrar novas maneiras de nos adaptarmos e continuarmos eficientes neste e por muitos anos no futuro. O que não mudou, e nunca mudará no Rotary, também é motivo de grande inspiração para nós: as amizades, as inúmeras possibilidades de networking, a prática de valores éticos e o voluntariado. Na verdade, estas são exatamente as características que mais atraem as pessoas aos clubes. Como disse nosso fundador, Paul Harris: "temos que ser revolucionários de vez em quando". Agora é o momento para sermos revolucionários. O Rotary Abre Oportunidades – inúmeras delas – para abraçarmos mudanças que venham nos fortalecer e que nos permitam continuarmos alicerçados nos nossos valores fundamentais.

Em 04/08/2020

Mais dois projetos de Subsídios Globais 2019-20, são aprovados pela Fundação Rotária

O Coordenador Distrital da Fundação Rotária, Ricardo de Maio Bermejo, da gestão 2019-20, e atual Instrutor Distrital. 2020-21, divulgou ontem que a Fundação Rotária aprovou mais dois projetos de Subsídios Globais:  O GG2012125 “Espaço de Reabilitação”, desenvolvido pelo Rotary Club de Bauru Parque das Nações, e o GG2015823 “Ações reais para adolescentes”, pelo Rotary Club de Paraguaçu Paulista. O projeto do Rotary Club de Bauru Parque das Nações e do Rotary Club de Paraguaçu Paulista, tem como parceiro o Rotary Club de Rauch, da Argentina, Distrito 4921. O valor destinado para o projeto do Rotary Club de Bauru Parque das Nações é de US$ 34.379 mil dólares e para o Rotary Club de Paraguaçu Paulista o valor destinado é de US$ 45.083 mil dólares. O Governador Marcos Antônio Carchedi, associado do Rotary Club de Marília Tradição, manifestou ontem a sua alegria na confirmação destes dois projetos “o impacto que estas ações provocam nas comunidades, as pessoas que são beneficiadas e alegria e o sentimento de estarmos fazendo a nossa parte, e principalmente, de seguirmos em frente e de fazermos ainda mais”. O atual Coordenador Distrital da Fundação Rotária, Mauricio de Agostinho Antonio, associado do Rotary Club de Bauru Terra Branca, destacou por estes motivos da importância de doarmos para a Fundação Rotária. “Os presidentes e os coordenadores da Fundação Rotária dos clubes tem um papel essencial na conscientização da capitação de recursos para a nossa Fundação, os projetos existem devido a estas contribuições, por este motivo eles são os motivadores dentro dos clubes para que possamos seguir fortalecendo a nossa Fundação”, falou Antonio. O Governador Nestor Amarilho, 2020-21, associado do Rotary Club de Assis do Vale, lembrou que estes projetos globais aprovados servem de inspiração para que os clubes doem e sigam elaborando os seus projetos. “Entendemos que os clubes estão sabendo fazer os projetos, por este motivo tivemos da gestão anterior, todos estes aprovados pela Fundação Rotária, parabéns aos clubes e seus líderes. Vamos apoiar e espero que nesta gestão tenhamos o mesmo sucesso”, concluiu. Faça o bem ao mundo, faça a sua doação para a Fundação Rotária.      

Em 01/08/2020

E o Latinhas de Rodas continua a todo vapor!

E o Latinhas de Rodas continua a todo vapor! Nesta semana, fizemos mais uma rodada de doações ao nosso grande parceiro nesse projeto, o Clube da Cadeira de Rodas! Dessa vez foram doados ANDADORES ao nosso parceiro Clube de cadeiras de rodas "João Leão de Carvalho ", que adquirimos por meio da venda daqueles "lacresinhos" especiais que muita gente nos ajuda a arrecadar! E o projeto continua de vento em popa! Então, se você juntar lacres de latinhas de alumínio em casa ou conhecer alguém que junte, e não souber a quem doar, faça uma doação para nós! Eles serão recebidos com muita alegria! É só dar um alô no *Direct * em nosso Instagram @rotaractclubassisnorte

Em 31/07/2020 por Rotaract Club de Assis-Norte

Rotaract Club de Pirapozinho Faz Campanha Para Doação de Sangue

Quando o assunto é doação de sangue em tempos de COVID-19 muitas pessoas relatam o medo de ir doar e por conta disso houve uma redução de doadores deixando os estoques de muitos hemocentros baixos. Pensando nisso o Rotaract Club de Pirapozinho está com um projeto que visa motivar as pessoas mostrando a importância de realizar essa doação e que o risco de contaminação é muito baixo além de realizar a conscientização de medidas a serem tomadas para isso. Em agosto será iniciada uma campanha nas redes sociais falando da importância da doação de sangue, campanha esta feita com vídeos, postagens, stories, compartilhamento para atingir o maior publico possível. Além da importância da doação será abordada a segurança no ato de doar, o que é fundamental nesse momento. Contamos com a solidariedade das pessoas neste momento complicado, onde o isolamento social não deve ser encarado como afastamento das práticas solidárias, pois muitas pessoas dependem deste gesto de afeto ao próximo.

Em 31/07/2020 por Rotaract Club de Pirapozinho

Reuniões | 19:30
Rua João Pessoa 50 B,50B Cep: 19806-000